PROGRAMAÇÃO SEMANÃO 2016 | ELT

SEMANÃO2016_ESCOLALIVREDETEATRO

ESCOLA LIVRE DE TEATRO
27 fevereiro a 04 de março

 

MacroPolíticas e PolíticasMicro

O foco será partilhar idéias, experiências e perspectivas de pesquisas que tratam das relações dos saberes de si e do outro em sociedade, da produção social das diferenças, bem como suas implicações de ordem política. Leia-se “diferenças” os conceitos de classe, raça, sexo, idade, gênero e identidade. Portanto, tratar de macro e micropolíticas é colocar o que está em jogo na sociedade atual: pensar a sociedade moderna para além do debate historiográfico e político que a desindividualiza e a considera como uma totalidade e, por outro lado, pensar o indivíduo e a fragmentação de suas histórias em múltiplas histórias.

 

27 fev | sábado | 20h
ESPETÁCULO: URUBU COME CARNIÇA E VÔA!

Grupo Clariô de Teatro | Apoio: PROAC, Secretaria da Cultura e Governo do Estado de São Paulo.

Escritos crônicos e retratos da vida de um poeta pernambucano, negro, oriundo de MURIBECA, bairro periférico, que leva o mesmo nome do lixão em torno do qual o conjunto habitacional onde mora foi construído.

João Flávio Cordeiro, o MIRÓ DE MURIBECA, faz da poesia a maneira mais concreta de responder a violência sofrida e observada por ele cotidianamente. Um artista intenso, crônico por natureza que, além dos escritos, traz no corpo e na palavra dita, uma visceralidade peculiar, que propõe novos olhares para um lugar onde “um sujeito pode bater no outro, só porque ele deu um riso!”, mas que, recheado de seu “alegrismo poético”, é capaz de colorir a tragédia e alçar vôos de celebração à vida. Uma ponte, uma travessia até Miró, é o que o novo espetáculo do grupo Clariô propõe. Atravessando a palavra do poeta de corpo e órgãos, descobrindo musicalidades e gestos que traduzam/dialoguem seus ditos tão urbanos e sertanejos.
“URUBÚ COME CARNIÇA E VÔA!” é o que nos clariô neste instante como chuva fina ao sol.

 

28 fev | domingo | * Não haverá programação neste dia.

29 fev | segunda-feira | 18h30 às 22h30
ARTISTAS EM ESTADO 
AUTÔNOMO

Convidados: ANTÔNIO JANUZZELLI (JANÔ) e EDUARDO OKAMOTO

Antonio Januzzelli (Janô) é diretor, ator, professor e pesquisador das práticas do ator. Atualmente é professor aposentado e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Sua pesquisa, denominada Laboratório Dramático do Ator, está focada na área de Pedagogia do Teatro, com ênfase nos processos de treinamento e criação do ator, dramaturgização e expressão vocal dramática. graduação em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1966), Mestrado em Teatro pela Universidade de São Paulo (1984) e Doutorado em Teatro pela Universidade de São Paulo (1992).

Eduardo Okamoto é ator, Bacharel em Artes Cênicas, Mestre e Doutor em Artes pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, onde atualmente é docente. Estuda as relações entre o potencial expressivo do corpo e as suas relações com a produção dramatúrgica: dramaturgia de ator.  Esses estudos dialogam com a realidade social, histórica e cultural do Brasil. Assim, formula teoricamente suas práticas criativas como dramaturgia de ator na intracultura. Apresentou espetáculos e diversas atividades formativas em diversos estados brasileiros e no exterior: Espanha, Suíça, Alemanha, Marrocos, Kosovo, Escócia e Polônia. É autor do livro “Hora de Nossa Hora: o menino de rua e o brinquedo circense” (Editora Hucitec, 2007). Em 2009, Eduardo Okamoto foi indicado ao Prêmio Shell 2009 na categoria de Melhor Ator sua atuação em “ELDORADO. Em 2012, foi indicado novamente ao Prêmio Shell de Melhor Ator por sua atuação no espetáculo “RECUSA”. No mesmo ano, foi contemplado com o Prêmio APCA de Melhor Ator por sua atuação neste espetáculo. Em 2015, estreia seu novo espetáculo solo, OE, baseado na obra do escritor japonês Kenzaburo Oe. Já foi professor dos cursos de formação de atores da Universidade Federal de Santa Maria e da Escola Superior de Artes Célia Helena.

01 março | terça-feira | 18h30 às 22h30

A COMUNICAÇÃO EM ESTADO DAS DIFERENÇAS

18h30 | Convidado: LUIZ FUGANTI

Luiz Fuganti é filósofo e arquiteto, fundador da Escola Nômade de Filosofia, instituição contemplada com os prêmios ‘Cultura Viva’ e ‘Cultura e Pensamento’. Idealizador de projetos culturais fomentados pelo Ministério da Cultura do Brasil e pela Secretaria de Cultura do Estado e do Município de São Paulo. Autor do livro ‘Saúde, Desejo e Pensamento’ e de diversos artigos em livros e revistas. O pensamento de Luiz Fuganti tem produzido, através de suas práticas e intervenções, a multiplicação dos olhares e das ações inventivas nos campos da arte e cultura, educação, saúde, justiça, ética e micro-políticas de autonomia dos movimentos sociais. Idealizou e colocou em ação projetos culturais como o “Movimentos Nômades de Cultura” contemplado como “Ponto de Cultura” pelo Ministério da Cultura do Brasil, o “Cinema Nômade”, que acontece já há 9 anos, contemplado com o selo “Cultura Viva” pelo mesmo Ministério.

 

PRODUÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS EM ESTADO DE CULTURA
20h30 | Convidada: DANIELE SAMPAIO

Bacharel em Ciências Sociais pela UNICAMP e Mestranda em Artes da Cena pela mesma universidade, Daniele Sampaio é fundadora da SIM Cultura! e produtora do ator Eduardo Okamoto desde 2006. Responsável pela produção dos espetáculos “Agora e na Hora de Nossa Hora” (2004) – Prêmio de Melhor Atuação Masculina no Festival de Agadir (Marrocos), “Eldorado” (2008) – indicado ao Prêmio Shell Melhor Ator 2009 -, “RECUSA” (2012) – espetáculo da Cia Teatro Balagan no qual Okamoto atua como convidado, e “OE” (2015). Aprovou diversos projetos em editais culturais e participou de importantes festivais nacionais e internacionais (Suíça, Alemanha, Espanha, Kosovo, Marrocos, Escócia, Polônia). Desde 2009, ministra cursos de “Produção e Gestão para as Artes Cênicas” e “Elaboração de Projetos Culturais” em diferentes cidades brasileiras. Em paralelo ao trabalho com Okamoto, presta consultoria em produção e gestão de projetos culturais para artistas e coletivos cênicos. É pesquisadora de Políticas Culturais, sendo bolsista na  Fundação Casa de Rui Barbosa (RJ) – instituição pública federal vinculada ao Ministério da Cultura – entre 2012 e 2014.

02 março | quarta-feira | 18h30 às 22h30
PRODUÇÃO SOCIAL EM ESTADO DE DIFERENÇAS

Convidado: HÉLIO MENEZES

Hélio Menezes é Mestrando em Antropologia Social no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade de São Paulo. Bacharel em Relações Internacionais e em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP). É pesquisador do Núcleo de Estudos dos Marcadores Sociais da Diferença (NUMAS/USP) e do Etno-História (USP). Na graduação, desenvolveu pesquisa de Iniciação Científica intitulada “Arte afro-brasileira ou falando de raça: a experiência do Museu Afro-Brasil de São Paulo”, com bolsa do CNPq e sob orientação da Profa. Dra. Lilia Katri Moritz Schwarcz. Tem experiência profissional no terceiro setor na área de Relações Internacionais e de Direitos Humanos.

03 março | quinta-feira | 18h30 às 22h30
JAM SESSION COM ESCOLA LIVRE DE DANÇA

Convidados: Paula Petreca e aprendizes da ELD

Paula Petreca é atriz, bailarina e coreógrafa. É investigadora do Centro de Estudos de Dança da Universidade Católica de São Paulo, mestre em Comunicação e Semiótica, como a tese sobre as transformações na dança brasileira implementadas pelo contato com a Tanztheater de Pina Bausch. Bailarina e videasta, coreografou e dançou, entre 2007 e 2008, seis peças de videodança em parceria com o músico português Luís Costa. Consultora Artística na Escola Livre de Dança de Santo André e Coordenadora Pedagógica (Ciclo Fundamental) na Escola de Dança de São Paulo, dedica-se à atividade de pesquisa e pedagogia ministrando formações em corpo e dança para adolescentes e jovens desde 2000. Durante três anos desenvolveu ações e trabalhos voltados à comunidade de Lisboa, no trabalho de corpo com bebês, crianças e também pessoas com necessidades especiais e idosos em espaços privados, municipais e públicos da cidade.

04 março | sexta-feira | 18h30
ENSAIO ABERTO | FORMAÇÃO 17
PETRICOR: O AROMA DA CHUVA QUANDO CAI EM TERRA SECA

Espetáculo adaptado do romance literário infantojuvenil “Luna Clara & Apolo Onze”, de Adriana Falcão. É uma história de amor, ou melhor, são muitas estórias de amor.  Luna Clara vive no mundo da Lua. Ela mora com sua mãe, suas tias e seu avô em Desatino do Norte, e passa a vida esperando o pai, que nunca conheceu. Seus pais se encontraram numa festa que não tinha data para acabar e lá mesmo casaram-se e logo depois se perderam, bem no meio do mundo. Apolo Onze nunca saiu de sua própria festa de nascimento, em Desatino do Sul, pois sua festa não tem data para acabar. Os acontecimentos não param de acontecer na região de Desatino. Imprevisto, Poracaso, Doravante, Aventura, coincidências, desencontros, sorte e azar.

Orientadores do processo:  Direção Geral: Cris Lozano | Assistência de Direção: Natália Nery | Dramaturgia: Alexandre Dal Farra | Danças e Preparação de Movimento: Juliana Pardo e Alício Amaral | Direção Musical: Luiz Gayotto.

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s