Quem somos

A comunidade Escola Livre é composta por Aprendizes, Funcionários e Mestres.

O termos Aprendiz e Mestre não estão presentes desde o princípio da Escola Livre. Eles surgiram como uma proposição do ex-mestre Alexandre Mate.

Mestre – substantivo e adjetivo. Do latim magistru, “aquele que comanda, que dirige; mestre que ensina”.

(Condutor. Aquele que restabelece nexos por meio dos quais a capacidade de olhar se amplia do senso comum à apreensão crítica.)

(Parteiro. Aquele que, sempre junto e em conjunto, se permite o ato maiêutico.)

(Libertário. Sujeito cujos caminhos se fazem ao caminhar.)

Aprendiz- certamente com influência de aprender

Aprender- do latim apprehendêre: agarrar; fazer entrar em determinado caso; apossar-se de (em linguagem militar)

Tradição e relação desenvolvida durante o final da Idade Média, fruto das corporações tanto religiosas como de trabalho.

Trabalhos criativos costumam ser mais reconhecidos do que trabalhos técnicos e de manutenção. Sendo estes últimos muitas vezes invisíveis no dia-a-dia. Mas nada se criaria sem a ação constante dos funcionários da Escola Livre. Limpeza, iluminação, organização dos espaços, administração, portaria, elétrica, biblioteca; na prática essas são as funções desempenhadas por eles mas, alguns como Elizabeth Barbosa, que trabalha no teatro Conchita de Moraes desde antes da fundação da ELT, se tornaram alicerces do funcionamento dessa escola.